O upcycling no mundo da moda

Você já ouviu falar em upcycling? O termo é usado para descrever a prática de dar uma nova utilidade para materiais que seriam descartados, assim ajudando a diminuir tanto a produção de novos resíduos, quanto também o descarte dos resíduos que já foram produzidos.

Embora o termo upcycling seja desconhecido por muita gente, ele já é utilizado desde a década de 90 e hoje, quase 30 anos depois, vem ganhando mais espaço. O upcycling  pode - e deve - ser aplicado em qualquer área, inclusive na indústria da moda!

Reciclagem versus Upcycling

O upcycling pode ser visto como um bom exemplo de economia circular, sendo uma prática muito parecida com a reutilização, mas com alguns diferenciais. O upcycling diz respeito a prática que consiste em ressignificar algo, mas sem mudar suas propriedades originais ou fazer o uso de modificações químicas, mas sim com muita criatividade e imaginação para transformar o produto. Já a reciclagem envolve processos que podem alterar as estruturas e propriedades do material que será reaproveitado.

Mas qual a relação entre a economia circular e o Upcycling?

A economia circular tem como objetivo manter o valor dos recursos que são extraídos e produzidos, mantendo esses materiais em uma cadeia que seja produtiva e integrada, sem pensar e usar termos como “lixo” e “resto”, mas sim  em materiais que são reutilizáveis e que podem ser reinventados, mantendo sua importância e valor inicial mesmo após o uso. 

O que significa o Upcycling no mundo da moda?

Anualmente, mais de 80 bilhões de peças são produzidas e vendidas, movimentando a grande indústria da moda. E quando falamos em descarte, a maioria das peças são descartadas em lixões e aterros sanitários, demorando décadas (e até mesmo séculos) para se decompor.

Pensar em uma moda mais sustentável e consciente é extremamente necessário para o cuidado do meio ambiente, mas esse pensamento não pode se limitar apenas ao descarte ou produção, e sim englobar todas as etapas do ciclo de uma peça, desde a escolha dos materiais para a sua produção até o fim de sua vida útil.

Como as marcas podem contribuir com a sustentabilidade usando o upcycling?

Empresas estão cada vez mais preocupadas com o meio ambiente e nas formas de preservá-lo, se reinventando e adotando práticas mais sustentáveis na escolha da matéria prima, nos processos de produção, na venda e no descarte de seus produtos.

O upcycling não representa apenas uma economia de matéria prima, mas também de outros recursos importantes para a produção, como a água e a energia. Além disso, a adoção do upcycling permite uma redução considerável na geração de poluentes que são liberados na produção de novas peças. 

Com essa visão mais sustentável e uma tentativa de conscientização ambiental, marcas vêm adotando a prática do upcycling ao redor do mundo,  inclusive no Brasil. As peças que são produzidas a partir de outras peças são muito criativas e vão desde um guarda-chuva até acessórios para o cabelo. 

Na Ce.Ci, a sustentabilidade tem um espaço muito importante no planejamento das peças e acessórios produzidos. Por isso, apostamos em acessórios de cabelo que são fabricados com base no conceito de Upcycling. O Frufru (que também é conhecido como lacinho de cabelo, xuxinha, elástico de cabelo, scrunchie ou amarrador) ganha destaque positivo no mundo da moda e na sustentabilidade!

Os Frufrus produzidos na Ce.Ci são um exemplo clássico do uso do Upcycling de maneira criativa e fashion. Eles são produzidos com retalhos de tecidos usados nas peças de roupas que seriam descartados, e no cabelo dão um charme para o penteado. Disponíveis em diversas cores, os Frufrus da Ce.Ci são uma ótima opção para quem quer dar um toque especial no look e ainda incentivar o upcycling e contribuir com o meio ambiente.

Conheça nossos frufrus

Curiosidade: você sabe de onde surgiu o termo upcycling?

O termo foi usado pela primeira vez no ano de 1994, por um ambientalista e empresário alemão chamado Reine Pilz, mas não ganhou tanto destaque na época em que foi usado. Quase dez anos depois, no ano de 2002, o termo foi citado em um livro escrito por William McDonough e por Michael Braungart, traduzido no Brasil como “Cradle to cradle: criar e reciclar ilimitadamente”.

A partir da publicação desse livro, o termo começou a ganhar espaço e ser falado. No livro os autores associaram o termo Upcycling com práticas que visam evitar o desperdício de materiais que ainda podem ser usados pois estão com sua qualidade intacta, reduzindo não só o consumo de energia e de matérias primas para a produção, mas também a poluição da água e emissões de gases do efeito estufa, coisas que são produzidas muitas vezes nos processos de reciclagem industrial. Assim, por ter sido uma prática muito incentivada e descrita como positiva e ecológica, o termo começou a ser usado e aplicado em diversas áreas, como na indústria da produção de móveis.